Clique aqui e assista o vídeo
História do Churrasco

História

De onde veio o churrasco

A origem do churrasco remonta ao tempo das cavernas quando o homem, ao dominar as técnicas de fazer fogo, percebeu que sua comida (a caça) ficava mais saborosa e durava por mais tempo quando assada.


Já o churrasco, como conhecemos no Brasil, é oriundo ao Pampa, região no sudeste da América do Sul. Antigamente, essa era uma região de transporte de gado. No meio do nada, os transportadores, conhecidos como tropeiros, tinham apenas recursos básicos para sobreviver: os artefatos em couro, a carne, a madeira para suspendê-la e o fogo mantido aceso. Então, os tropeiros se reuniam ao redor do fogo, contavam suas histórias e saboreavam o churrasco, a sua única alternativa de
 sobrevivência. E que alternativa.

Hoje em dia, o churrasco é uma linguagem universal. Ele pode até ter outros nomes, outras formas de preparo. Mas em qualquer lugar do mundo, churrasco é
 sinônimo de alegria, confraternização, liberdade. A propósito, você está livre para um churrasquinho hoje?

Dicas

Dicas

Dica 1/

Dicas para um assador de sucesso

  • As melhores carnes são compradas na véspera, com calma.
  • Prepare a carne antes de levá-la ao espeto. Limpe-a de todas as pelancas.
  • Divida a carne em vários espetos para facilitar o controle e use o espeto de Inox Tramontina ideal para cada tipo de carne.
  • Deixe tudo preparado, mas só acenda o fogo quando os convidados chegarem.
  • O braseiro bom é vivo, vermelho e sem fumaça.
  • Mantenha os espetos com a inclinação para dentro, o que fará com que a gordura caia sobre as brasas, avivando o fogo.
  • Cada carne tem seu ponto certo de servir. Respeite-o.
  • Não se afobe. Não passe agitação para o grupo. O bom astral faz parte do churrasco.

Cortes

Costela e picanha reinam absolutas nas churrasqueiras

Quais são os cortes preferidos para um bom churrasco? A costela e a picanha disputam a preferência. Mas outros cortes têm seus defensores, e os nomes podem variar conforme a região: o contrafilé ou filé curto, o vazio ou fraldinha, a alcatra, a chuleta ou entrecôte, o filé mignon. Temos também as linguiças e o salsichão. E um galetinho, quem não aprecia? E também há o sabor especial da carne de ovelha, o lombinho de porco e a costelinha salpicada de farinha ainda sobre as brasas. Alem do xixo(que é tudo isso mais a cebola e o pimentão), do leitãozinho assado com a pele crocante e dos peixes recheados. Diga lá: não é hora de convidar os amigos e acender o fogo?

Quantidade

O churrasco também tem matemática.

Todo assador que se preza tem sempre um secreto medo: será que não vai faltar carne? Não vai, não. Basta fazer a conta certa. E a medida básica é: 500g de carne sem osso ou 700g com osso por pessoa. Porém, existem algumas variáveis: os aperitivos, os acompanhamentos, se há mais mulheres ou mais homens, se é inverno ou verão, o ambiente, o tempo de espera e, principalmente, a categoria do assador.

Na duvida, deixe dois espetos preparados de reserva. Qualquer ameaça de excesso de consumo, leve-os ao fogo.

Como espetar

Cada carne uma sentença

Espetar a carne exige uma certa técnica e os espetos adequados. A posição correta é segurar o espeto com uma mão, em paralelo com a mesa, enquanto se apoia a carne com a outra mão.

Outra forma é manter o espeto em pé, sobre o balcão ou a mesa, e forçar a carne para baixo, mas esse modo pode ser perigoso. Cortes como o lombinho de porco, o filé mignon inteiro, a costela-minga, a alcatra, as picanhas pequenas, entre outros, já estão prontos para serem espetados. Basta atravessar a carne com o espeto no sentido do comprimento. O mesmo acontece com a tradicional costela, quando cortada em tiras. Um largo pedaço de vazio, um costilhar inteiro, peças grandes de picanha ou de maminha exigem espetos duplos ou simples reforçados, com a peça subindo e descendo em vários pontos, para que a carne fique exposta ao fogo por inteiro.

Por isso, quando o churrasqueiro for ao açougue, deve ter em mente como o espeto vai se apresentar na hora de servir.

Como salgar

Existem varias técnicas para salgar a carne, sempre usando o sal grosso. Entretanto, a maneira mais usada é salgar antes de espetar. Nesse caso, coloque as carnes numa gamela e salgue fartamente, esfregando com as mãos por todos os lados, inclusive o osso e a camada de gordura. Não se preocupe com o aparente excesso. Antes de servir, segure o espeto no ar, ainda dentro da churrasqueira, e bata a carne. Você pode usar as costas da sua faca Tramontina para essa função.

Como fazer o fogo

A primeira lição para um bom churrasco.

Carvão ou lenha? Carvão é mais fácil de trabalhar. Lenha dá mais charme, mostra mais técnica e dá um cheirinho. Você decide. Uma coisa não se pode esquecer, ainda que obvia: o que assa a carne é o calor, nunca a chama. Portanto, precisamos sempre de fogo forte, crepitante. E a quantidade de carvão? Em geral, podemos dizer que um saco de carvão de 4kg, de boa qualidade, é suficiente para um churrasco familiar de dez pessoas. Entretanto, para evitar sustos ou surpresas, é sempre bom ter uma reserva técnica. Muito vento, muito frio, frangos mais demorados, churrasqueira que “puxa” demais: tudo pode aumentar o consumo e deixar o assador em apuros. Às vezes, basta colocar três ou quatro pedras grandes de carvão para dar uma boa avivada no fogo e garantir o final feliz. Mas então, a que distancia devem ficar os espetos do fogo? Em principio, 50cm de altura é o recomendado.

Qual o tempo para assar um bom churrasco

Quem determina não é o relógio, é o assador.

Você faz o seu tempo. O tipo de carne escolhida, o corte que vai ao espeto, a qualidade do carvão, a churrasqueira, a altura do fogo, todas são variáveis que apressam ou retardam o seu churrasco. Damos abaixo uma tabela com tempos médios aproximados. Carnes sem osso: picanha, alcatra, filé, maminha, etc.

  • Peça inteira - 40 min
  • Cortada em postas - 20 min
  • Com osso (chuleta/costela) - 40 min
  • Salsichão - 30 min
  • Carne de porco (bem passada) - 50 min
  • Frango - 50 min
  • Carne de ovelha/cordeiro - 60 min
  • Galetinho - 40 min
  • Pernil inteiro (porco/ovelha) - 1h30 min
  • Pimentão/cebola/berinjela/batata - 30 min

Como servir o churrasco

Onde o churrasco deita e rola.

As tabuas são fundamentais para que o assador possa preparar as carnes. Isso nunca deve ser feito sobre a mesa ou balcão, pois poderá estragar a sua faca preferida. Assim, escolha uma boa tabua que seja pesada e firme ao mesmo tempo. Para servir à mesa, nada é mais simpático que uma outra boa tabua. Isso faz parte da decoração e do clima de simplicidade sofisticada, característica de um churrasco bem servido. Com o tempo, sua tabua ficara com as marcas dos cortes, o que só aumenta o seu charme.

O que deve acompanhar um bom churrasco

Verde que te quero verde

As carnes e o sal exigem uma compensação. Por isso, capriche nas saladas e escolha as mais simples, como alface, chicória, rúcula, agrião. Corte-as em tiras largas, tempere com limão e azeite, misture tudo, salpique com tempero-verde picado e sirva. Ou apresente as tradicionais cebolas e tomates. E se quiser dar um toque a mais, sirva também frutas. Ou então siga alguma de nossas sugestões abaixo:

  • Salada de batatas e maionese
  • Farofa
  • Queijo assado
  • Pão assado com manteiga e alho
  • Cebolas e pimentões assados
  • Berinjela grelhada
  • Abacaxi assado com canela

O que não pode faltar na mesa de um churrasco

Cuidado: se o talher for ruim, quem leva a fama é a carne.

Uma mesa bem organizada é um dos charmes de um bom churrasco. Ninguém gosta de comer no improviso por melhor que a comida tenha sido preparada.

Portanto, disponha os talheres adequadamente e capriche na arrumação. Outro aspecto importante é o tipo de talher. As facas devem ser obrigatoriamente serrilhadas para facilitar a vida dos convidados. Alem disso, pelo seu caráter informal, o churrasco pede talheres com design mais descontraído. A Tramontina tem boas opções para você de acordo com o seu estilo e o ambiente onde é servido o churrasco. Todas com a qualidade do aço inox.

Contato